Conteúdo

47 figurantes recriaram guerra da restauração na Fortaleza de Valença

Valença recriou o período da recuperação da independência de 1640 e o fim da monarquia dual

26 de setembro de 2016
47 figurantes recriaram guerra da restauração na Fortaleza de Valença
A Fortaleza de Valença recuou 376 anos e proporcionou um momento único  sobre os históricos combates entre portugueses e castelhanos que marcaram o fim da dinastia dos Filipes em Portugal e a recuperação da independência nacional.
47 figurantes recriaram 5 dos momentos mais marcantes vividos em Valença na época das Guerras da Restauração.

Os combates, em São Pedro da Torre, em 1658, entre o exercito português e castelhano, comandado pelo general Luís Gonzaga, foram recriados no largo das Portas do Sol.

No interior da Fortaleza, o Largo dos Inválidos, recebeu a recriação da assistência médica aos militares feridos em combate.

A defesa da Fortaleza de Valença foi recriada na parte superior das Portas do Meio e do Baluarte da Esperança, nos caminhos de ronda, com a participação de figurantes de militares castelhanos e portugueses.

O Jardim das Amoreiras, recriou o emblemático comércio e contrabando do sal em que Valença, durante séculos, foi o principal interposto entre o norte de Portugal e a Galiza.

As tabernas, a Roda dos Expostos, o ambiente festeiro dos militares e da população da fortificação foram recriados no Revelim da Coroada.

Entre as cinco recriações históricas os momentos musicais estiveram a cargo do grupo “Fados & Tal”.

Esta atividade inseriu-se na programação das Jornadas Europeias do Património.

Adicionar comentário