Conteúdo

Valença Avança com a Classificação de Seis Fortes das Guerras da Restauração

18 de junho de 2021
Valença quer ver classificados das seis fortificações abaluartadas em terra​​​​​​ da época das Guerras da Restauração, existentes no concelho, como Imóveis de Interesse Municipal (IIM).
     Decorre, de momento o levantamento e preparação do dossier, com vista à classificação, do Forte de S. Jorge na freguesia da Silva, do Forte de São Luiz Gonzaga, em São Pedro da Torre, do Forte de Belém, em Arão, dos Forte do Tuído e de São Francisco ou Balagota, em Gandra e do Forte da Gingleta em Verdoejo.
     Estes fortins térreos estavam integrados no sistema fortificado da linha de defesa do rio Minho, na fronteira Portugal / Espanha, constituindo pontos avançados de defesa e ataque à Fortaleza de Valença.
Para o Município de Valença é fundamental avançar com a classificação face à importância e interesse histórico cultural a nível nacional destes bens. Para o Município a proteção legal destas estruturas é o primeiro passo para a valorização de um património que merece ser estudado, interpretado e dado a conhecer.
     Com a classificação destes B​ens pretende​-se, sobretudo, proteger, valorizar e salvaguardar estas estruturas militares, as quais nos remetem para a consolidação e defesa da fronteira de Portugal, considerada uma das mais estáveis e antigas dos mundo.
     A implementação deste projeto por parte do Município de Valença conta com o financiamento do programa Touring Cultural| Identidade Cultural do Minho, através do Norte 2020 / Cim Alto Minho.

Adicionar comentário